Crença á feitiçaria provoca morte a fogo

Uma senhora de 49 anos de idade foi queimada viva, acusada de feitiçaria. Tudo aconteceu na província de Cabinda. A informação foi veiculada pelo jornal folha 8.





Entre os vários crimes exaltados, destaque ainda para os motivados pela crença ao feiticismo e práticas religiosas.

Causadora de homicídio, a referida prática é uma das preocupações do comando provincial de Cabinda que, no passado dia 15.06 voltou a chamar à imprensa para apresentar elementos que estarão envolvidos em um caso do género. Trata-se de seis elementos que mataram uma cidadã de 49 anos à queima por supostamente ser feiticeira, argumentando que a surpreenderam a transformar-se em gato.

O filho da vítima testemunhou o caso e considerou triste a forma como a mãe foi maltratada pelos acusados.

As autoridades policiais já encerraram alguns locais de reza e prática de exorcismo por crenças religiosa e feitiçaria e promete tudo fazer para combater tais costumes.

No leque dos crimes resultantes da crença ao feiticismo, as autoridades policiais acreditam ter frustrado um programa que visava a morte de alguns funcionários bancários.

Segundo as investigações da polícia, a morte dos mesmos foi recomendada a um suposto curandeiro por um funcionário bancário, acusado de desvio de valores monetário na instituição bancária. O objectivo do funcionário acusado, segundo as investigações, era penalizar os colegas que estavam a colaborar com a equipa de investigação do caso de desvio de fundo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SERA ERRADO OUVIR MUSICA MUNDANA?

Igreja Mundial em Angola suspeita de lavagem de dinheiro

O HOMOSSEXUALISMO EM ANGOLA